8 músicas inspiradas em livros clássicos

Algo que está sempre presente no nosso dia a dia é a música, seja ela por meio das playlists que  escutamos em aplicativos, no rádio, no supermercado, em bares ou nas propagandas. É fato que ela está por todos os lugares, nos causando inúmeros sentimentos quando as ouvimos,  despertando também memorias afetivas boas ou ruins. 

Hoje, vamos falar sobre a literatura dentro das músicas. Neste texto, listamos 8 músicas que foram inspiradas em livros clássicos. Abra a playlist e venha com a gente!                                  

Pet Sematary – Ramones 
Baseada em Cemitério Maldito, de Stephen King


Em 1983, Stephen King publicou Cemitério Maldito (Pet Sematary no original), um dos seus livros mais aterrorizantes. Sua trama acompanha a história da família Creed, que acaba de se mudar para uma cidadezinha no estado do Maine após o médico Louis Creed ser convidado a assumir um cargo na universidade local. A casa na qual a família vai morar fica muito próxima  a uma rodovia onde diariamente passam caminhões em alta velocidade. 

Além desse perigo, somos apresentados a um cemitério de animais que fica também próximo à casa de Louis. Segundo seu vizinho, naquele lugar muitas crianças enterraram seus bichinhos de estimação, porém ninguém pode ultrapassar a barreira que existe depois do cemitério. 

Certo dia, o gatinho da filha de Louis morre, e ele vai usar aquele lugar proibido para enterrá-lo. A partir daí, somos envolvidos em acontecimentos terríveis que assombram a vida dos Creed. 

O livro fez tanto sucesso que seis anos depois ganhou uma adaptação para o cinema, e para compôr a trilha sonora, King convidou a banda estadunidense Ramones, que inclusive é uma das favoritas do autor. Depois de ler o livro, Dee Dee Ramone compôs Pet Sematary. A letra basicamente transmite o sentimento que o livro carrega, além de no refrão expor o medo de ir parar no cemitério de animais. 

A música não foi sucesso de critica, mas alcançou bons números nas paradas da Billboard naquele ano. Ela ganhou um clipe que teve participações especiais de Debbie Harry e Chris Stein, da banda Blondie

Trecho:
I don't wanna be buried in a Pet Sematary
Eu não quero ser enterrado num cemitério de animais
I don't want to live my life again
Não quero viver minha vida de novo 

— Clique aqui para comprar o livro! 

Wuthering Heights – Kate Bush
Baseada em O Morro dos Ventos Uivantes, de Emily Brontë 


Outra música que carrega o mesmo nome da obra original é Wuthering Heights, composta pela cantora britânica Kate Bush, que se inspirou no livro O Morro dos Ventos Uivantes, escrito por Emily Brontë em 1847. 

Kate escreveu a musica quando tinha apenas 18 anos, após assistir a uma adaptação de 1970 feita pela BBC. A artista foi em busca do livro e acabou descobrindo que seu aniversário era no mesmo dia que o da autora, 30 de julho.

O single se tornou o maior sucesso comercial de Bush. Na letra, a trágica história de Cathy é contada através da perspectiva de seu fantasma. No videoclipe , a artista encena uma linda dança representando a personagem do livro.

O Morro dos Ventos Uivantes é um daqueles clássicos que todos provavelmente já ouviram ou ouvirão falar sobre, seja por meio de livros como Crepúsculo, que faz referência à obra e contribuiu para sua repopularização no final da década  de 2000, seja por filmes.

O livro conta a história do turbulento relacionamento entre Cathy e Heathcliff, desde a infância até a vida adulta. A obra é muito mais do que isso. A nossa editora, Mia Sodré, a pesquisa e tem total propriedade para comentar sobre esse clássico, portanto indico que confiram o que ela já falou a respeito da obra-prima de Emily Brontë. 

Trecho:
Heathcliff, it's me, Cathy, I've come home 
Heathcliff, sou eu, Cathy, eu voltei para casa
I'm so cold, let me in your window
Sinto tanto frio, deixe-me entrar pela sua janela

— Clique aqui para comprar o livro! 

Wonderland – Taylor Swift
Baseada em Alice no País das Maravilhas, de Lewis Carroll


A cantora estadunidense Taylor Swift lançou em 2008 um de seus maiores sucessos, Love Story, que foi inspirada em Romeu e Julieta, famosa obra de William Shakespeare. Mas. além desse sucesso, Taylor buscou inspiração em mais uma obra da literatura clássica para compor outra canção. Wonderland é uma faixa que faz parte versão deluxe do quinto álbum da cantora, 1989, lançado em 2014. 

Desde o titulo da música, Swift deixa clara a referência ao livro Alice no País das Maravilhas (Alice’s Adventures in Wonderland no original) escrito pelo britânico Lewis Carroll. Na letra, a autora faz alusões entre um relacionamento vivido na música e os acontecimentos do livro, inclusive citando personagens do mesmo, como em um trecho no qual Taylor canta “Took a wrong turn and we fell down a rabbit hole” referindo-se à personagem titulo da obra, Alice, que, após cair em uma toca de coelho, vai parar no País das Maravilhas. 

Trecho:
We found Wonderland 
Nós encontramos o País das Maravilhas 
You and I got lost in it 
Você e eu nos perdemos nele 
And we pretended it could last forever 
E nós fingimos que isso poderia durar para sempre 

— Clique aqui para comprar o livro! 

Don’t Stand So Close To Me – The Police
Baseada em Lolita, de Vladimir Nabokov 


O polêmico livro do russo Vladimir Nabokov, além de ter inspirado Stanley Kubrick a dirigir um filme em 1962, também serviu de gás para a banda The Police lançar a música Don’t Stand So Close To Me em 1980. Escrita pelo vocalista Sting, a letra trata de um relacionamento entre uma aluna e seu professor, que acaba sendo descoberto. Além de ter sido o single mais vendido em seu ano de lançamento, a canção também ganhou o Grammy de Melhor Performance de Rock por Duo ou Grupo com Vocal em 1982.

Em trecho da música, o nome de Nabokov vem a tona, Sting usou para fazer uma rima, mas isso gerou criticas na época. O cantor também foi questionado se o relacionamento retratado na música seria uma experiência pessoal dele, mas em uma entrevista anos mais tarde ele negou que fosse o caso. Vale lembrar que antes de Sting se tornar vocalista do The Police, ele passou dois anos licenciando como professor em uma escola.  

Acredito que praticamente todos já tenham ouvido falar de Lolita em algum momento, porém, para aqueles que não o sabem, o livro tem como protagonista e narrador Humbert Humbert, um professor de meia idade que, após se mudar para uma pensão, se torna obcecado pela filha da dona do local, nutrindo assim um desejo pedófilo pela menina de apenas 12 anos. 

Todavia, devemos destacar que a música coloca a menina estudante como quem toma iniciativa em sua paixão pelo professor, novamente romantizando Lolita, dando a crer que a adolescente do título estava, em algum grau, desejosa daquele crime. 

Trecho:
It's no use, he sees her 
Não adianta nada, ele a vê 
He starts to shake and cough
Ele começa a tremer e engasgar
Just like the old man in
Igual aquele velho
That book by Nabakov
Naquele livro do Nabokov 

— Clique aqui para comprar o livro! 

Are 'Friends' Electric? - Tubeway Army
Baseada em Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas?, de Philip K. Dick 


A banda britânica de new wave Tubeway Army alcançou o sucesso em 1979 com a música Are ‘Friends’ Electric?, escrita por seu vocalista, Cary Numan. Ele se inspirou no famoso livro Androides Sonham Com Ovelhas Elétricas? (Do Androids Dream of Electric Sheep? no original), escrito por Philip K. Dick, conhecido por dominar o gênero da ficção cientifica. 

A obra de K. Dick foi adaptada para o cinema em 1982, porém o nome não agradou muito a produção do filme e optaram por mudá-lo para Blade Runner. Comercialmente, o titulo é vendido assim devido ao sucesso do filme. 

O livro é uma distopia que se passa em um futuro pós-apocalípticono qual, após uma guerra, o nosso planeta se torna praticamente tóxico e coberto por uma poeira radioativa. O protagonista é Rick Derkard, um caçador de recompensas, que tem como trabalho matar androides (robôs humanoides) fugitivos.  

No livro, além de robôs idênticos a humanos, existem também carros voadores e algo fundamental para o titulo original da obra: animais elétricos. Com a guerra, animais vivos se tornaram artigo de luxo. Por serem comercializados, seus preços eram muito caros, restando assim opção de comprar um animal elétrico,e torcer para que ninguém descobrisse. Possuir uma falsificação era uma vergonha. 

A própria letra de Gary conta sobre um homem convivendo com robôs, abordando assim a tecnologia e também a solidão, sentimento recorrente dentro do livro. 

Em entrevista à revista Mojo em 2008, o compositor contou sobre a inspiração no autor para a música:  “Há muito de Philip K. Dick ali. Eu o amo”

Trecho: 
But are 'friends' electric?
Mas seriam os "amigos" elétricos?
Only mine's broke down
Só o meu está quebrado
And now I've no-one to love
E agora não tenho mais ninguém para amar

— Clique aqui para comprar o livro! 

1984 – David Bowie
Baseada em 1984, de George Orwell 


Em 1973, David Bowie escreveu a letra de 1984 baseando-se no livro de nome homônimo escrito pelo inglês George Orwell. A famosa obra de Orwell foi publicada em 1949, sendo assim seu último trabalho publicado em vida. O autor morreu um ano depois após uma complicação devido à tuberculose. Ele tinha 46 anos. 

O livro já ganhou adaptações para o cinema, TV, rádio e teatro. Porém, muito antes, ainda no ano de 1974, Bowie queria transformar a obra literária em um musical para a televisão. Infelizmente, a viúva do autor, Sonia Brownell (detentora dos direitos autorais na época), não permitiu que o projeto do cantor seguisse em frente. David então transformou sua ideia em álbum, e assim nasceu Diamond Dogs, seu oitavo disco que foi um sucesso alcançando inclusive o primeiro lugar na UK Albums Chart (lista de álbuns classificados pelas vendas físicas ou digitais). 

Dentre as faixas, vale destacar duas delas que são explicitamente dedicadas a 1984: Big Brother e, é claro, 1984. A faixa que carrega o título do livro retrata o que seria aquele mundo distópico e aterrorizante criado por Orwell. 

O livro se passa no ano de 1984, em um futuro distópico. Ele é narrado por Winston, um homem que trabalha falsificando documentos para o governo. A Inglaterra (onde se passa o livro) agora é dominada pelo regime totalitário do Grande Irmão (Big Brother em inglês). Winston começa a se questionar sobre a sua vida após iniciar um relacionamento clandestino com uma moça chamada Julia. 

Trecho:
They'll split your pretty cranium 
Eles vão dividir seu belo crânio 
and fill it full of air 
e enchê-lo de ar 
And tell that you're eighty 
E dizer que você tem oitenta anos 
but brother, you won't care 
mas, irmão, você não vai ligar 

— Clique aqui para comprar o livro! 

Watermelon Sugar - Harry Styles
Baseada em Açúcar de Melancia, de Richard Brautigan 


Em 2019, o britânico Harry Styles lançou seu segundo álbum solo. Dentre as faixas está o seu single de maior sucesso Watermelon Sugar, que foi um fator decisivo para alavancar ainda mais a carreira do cantor. A música, além de ter alcançado o topo das paradas nos Estados Unidos, também deu a Harry um Grammy pela sua performance. 

A canção tem um estilo mais sensual e retrata um amor de verão vivido por ele.  Não é confirmado, mas especulações apontam que a música é para sua ex-namorada, a modelo Camille Rowe que, em uma entrevista, listou Açúcar de Melancia, livro do romancista Richard Brautigan, como um de seus favoritos. Apesar disso, Styles já admitiu o favoritismo pela obra também e confirmou que se inspirou nela para compor o single. 

O livro é considerado um clássico estadunidense da contracultura (movimento importante da década de 1960) cujo enredo acontece em um vilarejo onde tudo é feito de açúcar de melancia – sim, isso mesmo. Desde as casas até peças de vidro, tudo é açúcar de melancia. O livro teve seu lançamento aqui no Brasil apenas em 2016, pelo selo José Olympio do Grupo Editorial Record. 

Trecho: 
Tastes like strawberries on a summer evenin' 
Tem gosto de morangos em uma noite de verão 
And it sounds just like a song 
E soa como uma música 
I want more berries and that summer feelin' 
Eu quero mais frutas vermelhas e aquele sentimento de verão 

— Clique aqui para comprar o livro! 

Pigs (Three Different Ones) – Pink Floyd
Baseada em A Revolução dos Bichos, de George Orwell 


Conhecida por produzir músicas com fortes opiniões politicas, a banda de rock Pink Floyd lançou seu décimo álbum em 1977, Animals, que teve em todas as suas músicas a colaboração fantástica de Roger Waters. O álbum tem como inspiração o livro A Revolução dos Bichos (Animal Farm no original), de George Orwell. 

O livro foi escrito como uma fábula e se passa em uma fazenda onde os animais são obrigados a trabalhar como escravos para o seu dono. Após um porco ancião incitar uma revolução, todos os animais se rebelam e expulsam os humanos da propriedade, ficando com a fazenda apenas para eles. Porém, as coisas não saem como imaginavam. O porco ancião morre e a liderança acaba nas mãos de dois porcos que se aproveitam da ingenuidade dos demais que lhes deram poder. 

Poderíamos analisar todo o álbum, mas vamos abordar em especial Pigs (Three Different Ones). A letra é sobre Mary Whitehouse, uma ativista conservadora, conhecida por lutar contra a exibição de sexo na TV. Waters achava que Mary não tinha o direito de decidir o que as pessoas deveriam assistir. Mesmo a letra contendo o sobrenome dela em alguns versos, na época associaram a música a uma critica à Casa Branca e ao presidente em si. 

A canção tem como animal principal os porcos, que são uma das três espécies de animais que aparecem em todo o álbum. Na música citada, os porcos são as pessoas como Whitehouse, que se acham autoridades morais para decidir pela população; os cachorros, as pessoas que são contra os porcos; e as ovelhas, as pessoas alienadas que seguem os porcos e acreditam que eles fazem o certo. É íncrível como muitos anos depois de seus lançamentos, tanto Animals quanto A Revolução dos Bichos permanecem atuais. 

Trecho: 
When you're down in the pig mine 
Quando você está na mina de porco 
You're nearly a laugh 
Você é quase risível  
But you're really a cry 
Mas você é realmente de chorar 

— Clique aqui para comprar o livro! 


Preparamos uma playlist no Spotify com as músicas citadas. Clique no player abaixo e divirta-se! 



Texto: Maria Fontenele 
Arte em destaque: Mia Sodré 

Comentários

back to top